Sexta-feira, 3 de Outubro de 2008

"Desculpa" - não passam de letras conjugadas

Já me enganaste tanto, magoaste, mentiste, traíste.

De todas as vezes que me pediste uma nova oportunidade, eu dei-te! De todas as vezes que pediste para voltar a confiar em ti, eu tentei – mas de todas as vezes, não cumpriste com o que disseste, não passaram de palavras ocas sem qualquer sentido.

Não quero ser demasiado bruta com a verdade, mas a nossa amizade nunca foi construída em cima de mentiras (da minha parte) e esta não será a primeira vez. Magoaste-me mais do que qualquer outra coisa, não te censuro por te afastares, censuro-te pelas mentiras, pelas más atitudes, pelos erros, que nunca foste capaz de ver.

Pedi-te, não uma nem duas vezes, implorei-te uma mudança , uma atitude! Sempre que o fiz, a tua resposta era a mesma “desculpa, eu vou fazer isto e aquilo”; nunca vi uma ponta daquilo que me prometeste, nunca fizeste nada daquilo que dirias fazer! Mentiste da pior maneira, fizeste com que te desse uma oportunidade nova, e traíste-me

Voltar a confiar em ti ? muito dificilmente, não foi uma vez nem duas. Foram imensas as vezes que faltaste com a tua palavra, que pouco te importaste com o que fizeste – no futuro, espero que não voltes a repetir o mesmo erro, ou então, não terás algo muito promissor! Magoas as pessoas que te amam realmente, prometes algo que nunca cumprirás, fazes com que elas percam a confiança que depositam em ti por seres imatura e extremamente inconsequente.

 

Dei-te tanto tempo para te aperceberes das coisas, mas não o fizeste; andas demasiado ocupada com a tua nova vida! Eu também segui com a minha, descobri novos horizonte, criei novas amizades, e voltei a sorrir no entanto, orgulho-me de não ter esquecido o que fui e o que tive! Nunca esqueci um só momento, uma só alegria, uma magoa, uma dor – tenho guardado no meu coração todas as memorias das minhas amigas, lembro-me de todas das quais houve afastamento, todos os dias com um sorriso nos lábios e um saudade enorme. Mas tu? Tu esqueceste-te do que foste, do que tiveste, esqueceste-te quem te amou, quem te apoiou, quem te fez sorrir, quem te limpou as lágrimas quando mais precisaste! Esqueceste-te de uma vida, para construíres uma nova.

 

Não te conheço, nem quero conhecer.

Permiti-te entrares no meu coração, permiti que fizesses parte de mim – mas isso só serviu para me magoares, para provocares estragos irreparáveis. Odeio mentiras, e tudo o que fizeste, foi mentir-me e dissimular um arrependimento não existente.

 

Todas as tuas palavras foram ocas, todas as tuas atitudes escassas. És cobarde porque nem para admitir isso consegues, não fazes nada e esperas que eu te “desculpe” sem qualquer esforço, esperas que tenha “pena” de ti, esperas que ultrapasse algo que magoou de mais. Mas não o farei, se quiseres a minha amizade de volta lutarás por isso – aceitar um pedido de desculpa como aquele, NUNCA – porque como anteriormente, poderás estar a mentir e a dissimular algo que não te lembras sequer. A palavra “desculpa” deixou de ter qualquer sentido na tua boca pois as tuas mentiras fizeram com que ela se tornasse nada mais nada menos que uma conjugação de letras.

 

A vida é tua, as atitudes são tuas. Mas para reparares o que fizeste, já vens tarde. Agora é contigo se queres, ou não, construir algo novo! Mas NUNCA com a confiança, ou amor que houve noutra altura! A magoa não se evapora facilmente, e eu tenho o defeito de ser rancorosa mesmo com as pessoas que amo.

 

Scribbles Meddlyn às 17:53
Link | Coment | Add.Fav
3 comentários:
De Jéss a 14 de Setembro de 2009 às 02:44
acredita, tá perfeito @
ao ler isto e vi como se fosse a minha situaçao.
Adorei, parebens pelo optimo blog
beijos***


De Daniela a 28 de Novembro de 2009 às 13:02
favoritos :D


De maria joão a 13 de Dezembro de 2009 às 14:55
peço desculpa por estar a invadir $:
vai para os favoritos, até porque consegui ouvir a voz de outra pessoa enquanto lia o texto, como se falassem para mim x.x
beijinhos :')


Coment