Sábado, 23 de Fevereiro de 2008

Assombro

Estou vazia.

O que para muitos não é nada, para mim é tudo…

Oiço à minha volta risos e gritos. Encaro isso como uma tormenta, todos me perseguem com a sua felicidade, enquanto eu, me sinto sozinha e assombrada.

Um turbilhão de sentimentos obscuros assola o meu pensamento, e o meu ser. Sinto vontade destruir tudo, de partir para outro lugar.

Sei que todos me criticam, e me julgam por algo que não conhecem. Estou sozinha neste mundo, em que tudo não passa de futilidades e desgraças.

Uma nuvem negra cobre o meu espírito, as lágrimas flúem da minha face criando o caminho de um rio, os meus olhos ficam vermelhos. No entanto, ninguém nota que estou prestes a desabar, olham para a minha dor como se fosse algo patético; recriminam-me, afirmando que sou mentirosa, e duvidosa… Ninguém me compreende, nem tentam fazê-lo, por que aqui quem está errado sou eu, sempre eu.

Não consigo entender, o porquê desta dor ser tão forte. Não haviam razões aparentes para que, com o passar do tempo, eu me transformasse numa sombra que deambula pelas ruas gélidas sobe a chuva fustigante, no entanto foi assim em que me tornei. Nada disto faz sentido, na verdade, nem eu sei se alguma vez fez. Tentei mostrar que tudo iria melhorar, enganar-me a mim mesmo, fazendo os outros acreditar nessa mentira para que eu mesma pudesse confiar nela também. Entretanto, fui perdendo os pilares que seguravam essa intrujice, a boca foi perdendo o hábito da fala, com isso chegaram as consequências; as lágrimas ficaram isoladas, a dor consumia meu interior já sombrio, os gritos estacaram para sempre, presos na garganta já contagiada. Não existe volta a dar, o fim é iminente…

Todas as lágrimas que prendi dentro do meu ser sairão, todos os gritos conseguirão se desprender de suas amarras, de dentro de mim sairá a minha alma decrépita que ficará para sempre presa neste triste mundo, assombrando. Aqueles que fizeram com que eu me tornar-se num corpo que apenas vivia pela simples ciência do respirar… Vou, mas não deixarei impune os que me magoaram.

Scribbles Meddlyn às 17:27
Link | Coment | Add.Fav
4 comentários:
De joanna a 24 de Fevereiro de 2008 às 01:05
já te disse o que achava, por msn :D
fantástico: 'D


De Pukka a 26 de Fevereiro de 2008 às 22:46
Lindo ** É esta a primeira palavra que me ocorre. escreves muito bem.
Por vezes pergunto a mim mesmo como é possível alguém expressar os sentimentos tão bem. Mas não sei, mas sei que tu conseguíste.


"todos me perseguem com a sua felicidade, enquanto eu, me sinto sozinha e assombrada."


De Chikkushou a 28 de Fevereiro de 2008 às 20:39
WOW xD

EpaH amo a forma com escreves, não tem explicação simplemente adoro.
Adorei não tenho palavras para descrever.

Tantas palavras caras, credo xD


Desculpa não ter comentado os outros post's

BJZ killing me


De Xuxudinha a 11 de Março de 2008 às 21:26
Como eu t compreendo... sei mt bem akilo k sentes e plo k tas a paxar...

Eu sei j é dificil mas o melhor é fazeres um esforço por ignorares ixo...

Vais ver k td vai correr plo melhor... mais tarde ou mais cedo ;)

Bj


Coment